A Bodega Salentein no Valle de Uco, uma das maiores e mais tradicionais vinícolas da Argentina, tem a arte e a arquitetura como base de seu turismo.

A estrada que leva ao coração do Valle de Uco é super arborizada e cheia de surpresas, não é raro encontrarmos trabalhadores em suas rotinas de trabalho com o gado ou nas plantações. Esta região que cultiva videiras desde que os missionários jesuítas chegaram a Mendoza no século XVII é hoje a maior produtora de vinhos da Argentina, são milhões de garrafas exportadas anualmente para o mundo todo.

É impossível não se impressionar desde a chegada à Salentein. A Arquitetura tem um estilo único, arrojada e simétrica como nenhuma outra vinícola na província de Mendoza. A impressão que temos é de que estamos em um museu de arte moderna e contemporânea, cercados por esculturas e outras obras de arte.

A visita guiada pela propriedade deve ser agendada com antecedência assim como todas outras em Mendoza, se você não agendar antes de sair do Brasil pode correr o risco de não conseguir visitar devido a grande procura.

Os passeios pela Bodega Salentein tem duração de aproximadamente 1 hora e 15 minutos e acontecem sempre de terça a domingo (eles só trabalham às segundas-feiras se a mesma for um feriado). O tour em espanhol tem saídas às 10:00, 12:00, 13:00 e 15:30 e o tour em inglês às 11:00 e 15:00. O ingresso custa AR$ 250,00 por pessoa (cerca de R$ 53,00 em 05/2017) e inclui a visita guiada, entrada para galeria de arte e degustação de 2 vinhos Salentein Reserva e 1 vinho Numina.

Dica: No dia de seu aniversário o tour é gratuito, basta reservar com antecedência e apresentar um documento na recepção.

A visita começou com uma projeção na sala de vídeos com um pouco sobre a história da empresa, logo depois saímos para um passeio pelo jardim onde é possível contemplar as videiras até chegar ao edifício principal da vinícola.

O cenário é lindo e muito bem cuidado, inclusive, com alguns gazebos no caminho. Se você visitar entre os meses de janeiro e março poderá experimentar as uvas “in natura”.

No primeiro piso da vinícola encontramos os tanques de fermentação de aço inoxidável, parte da primeira etapa do processo de produção, é aqui que as uvas recém colhidas e esmagadas ficam fermentando por alguns dias.

A Bodega Salentein foi construída em forma de cruz, assim foi possível reduzir o tempo de deslocamento entre as etapas do processo de elaboração dos vinhos e agilizar o trabalho dos enólogos.

Quando chegamos ao centro da vinícola, onde convergem as 4 alas, podemos observar “por cima” a mítica adega circular com a rosa dos ventos na câmara que lembra um anfiteatro, inclusive com um piano de calda e toda estrutura para sediar apresentações de música e dança.

A La Cava, como é chamada a sala, tem temperatura e umidade estabilizados e fica a oito metros de profundidade.

Este é o ponto alto da visita no que diz respeito a estrutura da Bodega Salentien, são 5.000 barricas de carvalho francês de 225 litros organizadas por tipo de vinho e expostas lado a lado no círculo central.

Nosso guia explicou que a rosa dos ventos simboliza a relação da adega com o restante do mundo e todas as pedras utilizadas para composição foram retiradas do Valle de Uco para mostrar que “temos os olhos para o mundo mas os pés em nossa terra”.

A última sala visitada antes da degustação é chamada de Primus e mais parece uma nova vinícola dentro da vinícola. Aqui nos apresentaram às 12 barricas gigantes de carvalho francês, cada uma com capacidade para 7.600 litros, só utilizadas para os vinhos top de linha e edições limitadas da Bodega Salentein.

A sala de degustação nos transporta diretamente para a “Última Ceia”, o afresco de Leonardo da Vinci, uma sala com temperatura perfeita para o vinho, com luz baixa e ótima acústica para ouvirmos todas histórias sobre a fabricação de cada exemplar da Salentein. Segundo nosso guia são produzidos aproximadamente 1 milhão de litros por ano e 50% da produção é exportada, os principais compradores são Brasil e EUA.

Experimentamos os excelentes varietais Salentein provenientes das três propriedades da empresa, que somam mais de 2000 hectares. Também provamos o Numina Cabernet Franc, uma uva que promete ser a nova tendencia da Argentina, esse vinho em especial é intenso e oferece aromas de grande expressão.

Existe um tour especial em espanhol que sai todos os dias exclusivamente às 14:00 ao custo de AR$ 390,00 (cerca de R$ 82,00 em 05/2017) onde é possível degustar também o vinho Primus, elaborado somente em safras excepcionais e envelhecido por 19 meses em barricas de primeiro uso.

Ainda tivemos tempo para conhecer uma linda sala de reuniões e os vinhos de guarda da Salentein que estão evoluindo em um processo de micro-oxigenação. Este espaço transmite exatamente a filosofia da bodega que combina os métodos de vinificação do velho mundo com a criatividade e o terroir do novo mundo.

Depois de sair da vinícola admirando novamente o belo caminho entre os vinhedos o roteiro original sugere um passeio pela coleção de obras europeias do séculos XIX e XX na Galeria Killka e na Capela de La Gratitud, mas como estávamos com almoço marcado no restaurante da Posada Salentein e já estávamos atrasados acabamos deixando esta parte para uma próxima viagem.

Recomendamos não deixar o prédio principal sem antes visitar a boutique Killka e escolher alguns presentinhos para os amigos e familiares. Os vinhos Salentein vendidos aqui ficam com os preços entre 25% e 50% mais baixos do que os mesmos rótulos no Brasil.

Indicamos um tour na Bodega Salentein para todos que desejam apreciar as grandes estruturas de vinícolas de Mendoza. O passeio é super completo, principalmente se você fizer um tour privado ou com pequeno grupo de turistas, o preço é muito bom pelo que oferecem e a arquitetura é impressionante.

Não perca todas nossas matérias sobre a região neste link: comerdormirviajar.com/tag/mendoza

Você encontrará nossas fotos no instagram.com/comerdormirviajar
Para ver tudo o que postamos nesta viagem basta buscar pela tag #CDVTripMendoza

Bodega Salentein
Ruta 89 s/n
Los Arboles – Valle de Uco
Mendoza – Argentina
54 262 242 9500
bodegasalentein.com

Comentários pelo Facebook

728x90

12 COMENTÁRIOS

  1. Fabio, estou encantada!! Que fotos lindas, que lugar lindo, que história, e que sede!!! Deve ser um passeio lindíssimo e como sempre seus relatos completos e com fotos que fazem a gente babar! Parabéns pelo trabalho.

  2. Adoro visitar vinícolas, adoro os vinhos de Mendoza, entao esse post é pra mim <3 Essa não entrou pra lista das que visitei na cidade, acho que é um motivo a mais pra querer voltar, certo? Tudo muuuito imponente e lindo demais!

  3. Não sou uma grande entendedora de vinhos, mas amo visitar vinícolas e beber (bien sûr). E a Bodega Salentein é incrível, uma estrutura belíssima. Ainda não conheço Mendoza, mas já salvei o post para o futuro. Parabéns pelas fotos, estão um arraso!! =)

  4. Nossa, que vinícola linda! Amei a arquitetura, as salas, já deixei anotado, pois sem dúvida nenhuma é um passeio que adoraríamos fazer.
    Meu marido com certeza traria muitas garrafas para o nosso bar rsrs.
    Mendoza deve ser incrível!

  5. Uau! Que lugar fabuloso. Se tem um passeio que eu adoro é visitar vinicolas. Quando for a Mendonza farei questão de conhecer. =)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here